sábado, 30 de maio de 2009

Julgamento de mais, arrependimento de menos

Aqueles que tem inveja, aqueles que comentam pelas costas; não têm nada para fazer. Talvez assim possam interagir. Depois conseguem ser falsas e são capazes de sorrir, como se aquele comentário nunca existisse - mas uma hora chegará nos ouvidos da vítima e, só assim, ela perceberá que está no meio de falsidade em pessoa.





Ninguém pode escapar, contra vontade, você é julgada. Todos sabem, de alguma maneira, você não sabe. Alguém lembra, sem intensão, você escuta. Ninguém entende, com sofrimento, você está com raiva.
É fácil falar mal pelas costas, esses são covardes; Difícil falar na frente dela, esses são os raros corajosos; Chega uma hora que não existe limite entre os covardes e eles falam incontrolavelmente.
Existe um covarde dentro de nós. Adimito que fui uma covarde, mas hoje quero ser uma corajosa - que não tem medo da verdade, que não importa com os comentários, que seja independente, com dignidade, coragem, deixar de ser inimiga e me tornar uma amiga. Entrar para o lado Bom;
Suporto os comentários, convivo com pessoas rivais nas quais julgam sem ao menos conhecer ou julgam pelas atitudes dela. Não posso entrar nesse grupo de fofoqueiras só pra deixar de ser fofocada. Não, não tem que ser assim. Devo agir do modo certo sem deixar de ser eu mesma.
Mas ainda existe pessoas que não se concientizaram como eu;



Mandamentos do não-julgamento:

  • Não devo concordar com a opinião dos indivíduos, eu tenho a minha própria opinião.
  • Não devo deixar que um comentário se torne o meu, eu tenho meu próprio comentário.
  • Não devo criar uma imagem da pessoa através dos comentários que ouço, eu tenho meus próprios olhos.
  • Não devo deixar escapar os meus comentários, apenas eu posso concordar delas.
  • Não devo ser controlada, eu posso ser independente.
  • Não devo ser julgada, eu posso encarar de frente.
  • Não devo magoar alguém, eu tenho conciência da experiência.
  • Não devo ficar com rancor, eu devo agir.
  • Não devo julgar para interagir, eu tenho minha própria integração.
  • Não devo me iludir, eu posso superar.

Ao saber que você é traída pelas pessoas, ao saber que traíram a sua confiança, ao saber que você também traiu a confiança delas, o que se deve fazer? Será que eu estou me tornando uma delas? Será que eu devo mudar esse jeito delas ou devo eu me mudar?


Esse é o meu dilema: Mudá-las ou me mudar?

beijos :*

P.S: Se julgam o meu ser, FODAM-SE! Eu me contento com eu mesma e sou feliz assim. Não ligo se comentários afetarão minha imagem, me precupo em ME fazer FELIZ do que limpar minha imagem; ou seja, (se eu quiser) só EU tenho o direito de sujar minha própria imagem, e não os OUTROS. Se sujarem, FODAM-SE! Odeio pessoas falsas.

2 comentários:

  1. Que maneiro! Mandamentos MARA!!
    Isso se chama falsidade. As pessoas gostam de falar mal, são uns idiotas! --' Acham que qualquer comentario nao possa prejudicar, mas dói e eles não sentem. 'FODAM-SE!'
    Vc nao precisa mudar por elas, mas mude se estiver se tornando uma delas. Tente também mudar esse jeito delas de flar mal das pessoas (pelas costas)

    "Não devo concordar com a opinião dos indivíduos, eu tenho a minha própria opinião.
    Não devo deixar que um comentário se torne o meu, eu tenho meu próprio comentário.
    Não devo criar uma imagem da pessoa através dos comentários que ouço, eu tenho meus próprios olhos."

    Texto muito bom, bia.
    ;*

    ResponderExcluir
  2. Isso, fodam-se os outros!
    Haha
    Bjs

    ResponderExcluir

O que você diz sobre isso?